Translate

sábado, 23 de maio de 2009

Louvor e ação, música e trabalho a serviço do reino de Deus

O Ministério de Louvor desempenha uma função importante no serviço da igreja. O louvor está presente em todos os cultos e tem valor pastoral. Por isso merece maior atenção no discipulado e acompanhamento. O louvor está presente também em toda a Bíblia, desde antes da criação até o Apocalipse e continuará a existir pela eternidade. A partir do reinado de Davi a música foi integrada à ministração do Tabernáculo e ministrada continuamente, em turnos que cobriam as 24 horas, diariamente. Havia quatro mil levitas músicos (1Cr 23.5), 288 eram mestres e profetas, capazes e preparados para o ministério do louvor (1Cr 25.7). Hoje, vemos cumprir-se a promessa da restauração do Tabernáculo de Davi (Am 9.11), quando o louvor é restituído à Casa de Deus em todas as suas formas: com danças, com cânticos novos, com liberdade de expressão e culto, trazendo o ambiente profético à Igreja do Senhor.É importante ressaltarmos a diferença entre louvor e adoração. Louvor é elogio. É expressão de reconhecimento das qualidades de alguém ou de seus atos. Tal expressão normalmente se faz por meio de palavras. Quando dizemos: “Senhor, tu és maravilhoso”, isto é louvor. Quando dizemos: “Senhor, muito obrigado pelo alimento”, isto é ação de graças, agradecimento. A adoração, por sua vez, é uma atitude espiritual, caracterizada por um amor intenso, reconhecimento da majestade divina e se traduz em disposição para servir ao Senhor. A adoração é interior, mas pode ser acompanhada de gestos exteriores, tais como o levantar das mãos, em sinal de rendição, ou o ajoelhar ou o prostrar-se diante do Senhor.O louvor pode ser dirigido a Deus ou aos homens (Pv 27.21; 31.30; Rm 3.3; 2Co 7.14). Afinal, louvor é elogio. A Bíblia diz que o próprio Deus louvará aos salvos (1Co 4.5). A adoração, porém, só pode ser dirigida a Deus. “Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele darás culto.” (Mt 4.10; Ap 19.10).

Nenhum comentário:

Postar um comentário